Mangá: Rin

Volumes: 14(Completo)

Arte e História: Harold Sakuishi

Sinopse: Norito é um adolescente tímido de 16 anos com apenas um sonho: tornar-se um mangaká. Seus começo de trabalho tem potencial, mas ele demonstra ser um rapaz super esforçado. Seu esforço redobra ao conhecer a bela Asune e tentar agradar a garota de qualquer forma. Acontece que tudo muda ao conhecer Rin, uma idol que apresenta poderes mentais. O que acontece quando estes dois se cruzam? Qual o caminho que seguirão?

Dedeco: Quando fiquei sabendo que o autor de Beck,  faria um mangá estilo Bakuman, eu fiquei intrigado e um tanto receoso. A princípio comecei a ler a história do nosso Norito e fui me deparando que o estilo de narrativa é bem diferente: no caso de Rin, o protagonista sofre muito até conseguir ficar um pouco mais próximo do seu sonho de ser um mangaká. Fazendo uma comparação mais básica, Rin é um Bakuman mais pessimista, com o foco maior em espiritualidade, mas calma que ainda falarei um pouco sobre o assunto.

A respeito do que aborda Rin é muito mais focado em questão da espiritualidade dos personagens no sentido de vidas passadas e em conexão com a pessoa prometida. No Japão existem diversas lendas e contos a respeito de destino e um dos mais conhecidos é o do Akai Ito, a linha vermelha do destino(se quiserem, depois eu faço um artigo detalhado sobre isso). A obra foca muito no sentimento que a Rin tem pelo Norito e vice-versa. Não, não estou falando somente no sentido amoroso, mas sim em questão do relacionamento em geral não só deles como as suas vidas passadas também.

A construção dos personagens de Rin, assim como em Beck, é muito bem elaborada, tornando os personagens cativantes e um tanto interessantes, mostrando realmente o que eles estão sentindo em todos os momentos e deixando visível suas expressões. Uma das únicas coisas que me incomoda é o traço do Sakuishi-sensei. Não é um traço ruim, mas é bastante caricato para personagens coadjuvantes, mas isso ele compensa no traço dos cenários e na narrativa incrível.