Mangá: Aku no Hana

Volumes: 11

Arte e História: Shuuzou Oshimi

Sinopse: Kasuga Takao é um garoto que adora ler livros, especialmente de Baudelaire Les Fleurs du Mal. Uma garota em sua escola, Saeki Nanako, é sua musa e sua Vênus, e ele a admira à distância. Um dia, ele se esquece de sua cópia de Les Fleurs du Mal na sala de aula e corre de volta sozinho para buscá-lo. Na sala de aula, ele descobre não só o seu livro, mas uniforme de educação física de Saeki. Em um impulso louco por causa de um barulho, ele a rouba. Agora todo mundo sabe “algum pervertido” roubou o uniforme de Saeki, e Kasuga está morrendo de vergonha e culpa. Além disso, uma garota da classe, Nakamura, estranha e assustadora, e sem amigos, viu ele roubar o uniforme. Em vez de revelar que era ele, ela reconhece seu espírito pervertido parecido com o dela e usa seus conhecimentos para assumir o controle de sua vida. Será possível para Kasuga se aproximar de Saeki, apesar intromissão de Nakamura e seu segredo? O que exatamente Nakamura pretende fazer com ele?

Dedeco: Essa obra é um pouco pesada e um tanto quanto poética. O desenrolar dos personagens da Nakamura, do Kasuga e da Saeki é surpreendentemente interessante, mas a história como um todo é muito confusa. Aku no Hana trata mais de todo um processo do Kasuga em se descobrir e de todos os conflitos normais de um adolescente, e uns até um pouco doentios como roubar uma roupa de ginástica, o que é um absurdo no Japão devido a população ser muito rígida e levar as regras muito a sério. Também temos todo o processo de quebra de personalidade e de redenção de diversos personagens, como a própria Saeki. Acho importante também ressaltar o fracasso que foi o anime, devido à técnica que utilizaram para fazer a animação. Os cenários ficaram lindos mas os personagens ficaram muito feios e “mal animados”. Apesar de tudo, Aku no Hana cumpre muito bem o papel de entretenimento, mas quem tem um estômago um pouco fraco pra alguns tipos de assuntos mais pesados, eu não recomendo.

PS: O mangá não é recomendado para menores de 16 anos.