Primeiras impressões: Beatless

Os quatro primeiros episódios de Beatless me chamaram a atenção pela qualidade de animação, o modo que  a sociedade em geral enxerga as I.A e pelo senso de responsabilidade que foi instituído entre o protagonista e a Lacia. As obras do estúdio Diomedea nunca foram obras que chamassem a minha atenção ou que cumprissem com as expectativas levantadas, já que em geral suas obras são de baixa qualidade. Todavia, Beatless pode ser uma obra que foge desse legado que a empresa tem em seu currículo. A qualidade de animação e trilha sonora estão boas e é um fator que de inicio já te atrai sua atenção, isso aliado a uma história que parece ser bastante promissora, principalmente na relação humanidade de I.A, mostram que o anime pode tomar um rumo inesperado.
A maior questão que ainda não soube identificar e se termos um anime com romance entre um ser humano e uma I.A, como já vimos em Plastic Memories e Chobbits. Outro aspecto que me chamou a atenção e que toda vez que a Lacia vai tomar uma ação que possa deixar vitimas ela emite um aviso dos termos de responsabilidade de suas ações, que vão cair nas costas de seu portador o jovem Arato. Esse foi o ponto de maior destaque na minha opinião e que não lembro de ter sido explorado em outras obras do gênero. Entretanto, se o anime não começar a entrar em questões mais profundas dessa relação entre humanos e as I.A’S  e suas consequências ele vai entrar para o hall de animes que ficam na lista de: “Apenas um anime com grande potencial, porém mal executado.”

Sinopse: Com a introdução de uma I.A. super avançada que supera a inteligência humana, seres que a humanidade ainda não compreenderam por completo, feitos por materiais muito avançados para a tecnologia humana começaram a surgir. Lacia, um hIE equipado com um dispositivo no formato de um caixão, é um desses. Na moda “garoto encontra garota”, Endo Arato de 17 anos de idade, tem um encontro fatídico com a artificial Lacia. Para que fins esses seres artificiais foram criados? Em meio a questões relativas à convivência desses seres artificiais e humanos, um garoto de 17 anos de idade faz uma decisão.

Imagens do anime: